Não é novidade que a meditação proporciona benefícios para quem a pratica. Tanto o lado físico quanto o mental ficam mais leves quando o corpo relaxa e todos os pensamentos negativos se vão. Apesar de ser uma prática milenar, ainda é atual e busca, por meio de técnicas, a total atenção do participante. O intuito não é só descansar a mente, mas também se autodescobrir.

A meditação não é específica de uma religião. Cristãos, budistas e hindus, por exemplo, a aplicam das mais diversas formas. Há quem a realize de acordo com a sua fé, já outros preferem trata-la como uma forma de ter mais consciência corporal, entre outras vantagens, longe dessas crenças.

Porém, o que muitos não sabem, é que existem alguns tipos de meditação e, é claro, que cada um tem seu próprio intuito e benefício. Para escolher o melhor modelo, é preciso saber para qual região ele se destina e no que pode ajudar. No geral, a prática pode auxiliar a ter mais energia, concentração, equilíbrio emocional, além de ser ótima para quem sofre de ansiedade e estresse.

A respiração é outra área privilegiada. As técnicas de respiração, conhecidas como pranayamas, colaboram para que a prática seja plena. E os resultados são sentidos não só durante a meditação, ou nas aulas de yoga, mas também no dia a dia. Uma pessoa que medita com certa frequência se sente mais energizada e focada.

Mas como saber qual é o tipo mais adequado? Vejamos:

Um *estudo publicado na revista Mindfulness trabalhou com 229 pessoas, em um período de nove meses. Divididas em grupos, foram submetidas a um tipo de meditação, que contribuiu para um resultado específico.

Meditação de respiração

Nessa o participante concentra-se em sua respiração. Pode ser considerada como a base para qualquer outro tipo de meditação. É boa para a concentração e para a melhora da distração.

Varredura corporal (body scan)

Deve ser feita deitada, de preferência, ou em diferentes posturas. A pessoa deve levar a atenção a uma parte específica do corpo, como da cabeça aos dedos dos pés. O body scan é ótimo, e muito utilizado, para o aumento da consciência corporal. Essa técnica ajuda a entender mais sobre as próprias emoções. Nos participantes da pesquisa, diminuiu os pensamentos negativos.

Amor-bondade

Essa prática foca na bondade e nos bons sentimentos. É despertar o que se tem de melhor pelos demais, sem esperar nada em troca. É focar nos sentimentos “quentes” e expandi-los para todos à sua volta, inclusive para os que não se têm muito apreço. Ela aumenta os bons pensamentos e amor pelas outras pessoas.

Atenção no pensamento

Ajuda a focar nos pensamentos que surgem e ter mais consciência sobre eles. Assim como surgem, também desaparecem.

Essas são algumas técnicas capazes de auxiliar no autocontrole, autoconhecimento e bem-estar. Se conhecer e se amar, assim como desejar o bem ao próximo, são atitudes exploradas pela meditação e que valem muito a pena para ter uma vida mais leve e feliz. Então escolha a que mais te agrada, ou a que esteja de acordo com o seu estado de espírito.

A meditação em movimento é outra escolha para quem deseja desfrutar dos benefícios dessa prática. Mas, assim como qualquer atividade, é necessário ter comprometimento e disciplina, já que os efeitos nem sempre vêm a curto prazo.

Quer se livrar das más lembranças e dos maus pensamentos e sentimentos? Então comece hoje mesmo a meditar. Aulas de yoga com meditação também ajudam quando o assunto é equilíbrio físico e mental.

Foto: Nickolai Kashirin / Flickr: Road meditation / CC BY 2.0

*https://bit.ly/2llfqC3