Sem tempo para ler? Que tal OUVIR esse texto? Aperte o play abaixo e ouça o post.

Os chacras são estudados por várias religiões, e sua tradição é muito aplicada em práticas como o reiki e o yoga. Vinda do sânscrito, a palavra “chacra” significa roda de luz. Como pontos de energia que representam diferentes aspectos da natureza humana, diz-se que quando um está desequilibrado, os órgãos ao seu redor são afetados.

Descubra agora a história dos chacras, quantos são, onde se localizam e como podem influenciar a sua rotina. Um novo ano se inicia. Vamos procurar ter mais saúde e autoconhecimento?

A origem dos chakras

O registro mais antigo que se tem sobre os chacras vem de escrituras sagradas do hinduísmo, no século 2 a.C. Hoje, essa crença ultrapassou os limites da cultura hindu, percorrendo o mundo ocidental.

A tradição diz que nós possuímos sete chacras principais, localizados ao longo da coluna vertebral. Seriam responsáveis pelo funcionamento de órgãos e glândulas, liberando energia. Assim, quando houvesse problema com um ou mais deles, seriam desencadeadas doenças emocionais e físicas. 

Os principais pontos do corpo 

Conhecer os chacras pode ser interessante, na medida em que nos ajuda a buscar equilíbrio. Para isso é preciso investigar qual chacra está em desequilíbrio (excesso ou falta de energia). Assim, temos uma nova perspectiva de enxergar o mundo e buscar técnicas que contribuam para melhorar a qualidade de vida.

chacras

Chacra coronário

Cor: lilás.
O que representa: ligação com o Universo, energias superiores.
Quando está em desequilíbrio: causa tristeza e falta de inspiração.

Chacra frontal

Cor: azul índigo.
O que representa: mente e intuição.
Quando está em desequilíbrio: falta de concentração, medo e tensão.

Chacra laríngeo

Cor: azul-claro.
O que representa: comunicação.
Quando está em desequilíbrio: insensatez, falar demais ou se expressar de menos.

Chacra cardíaco

Cor: verde.
O que representa: emoções.
Quando está em desequilíbrio: instabilidade emocional.

Chacra plexo solar

Cor: amarelo.
O que representa: humor e individualidade.
Quando está em desequilíbrio: egoísmo, fúria, apatia.

Chacra sacro

Cor: laranja.
O que representa: vitalidade, sexualidade, autoestima.
Quando está em desequilíbrio: inveja, ausência de objetivos.

Chacra básico

Cor: vermelho.
O que representa: sobrevivência e instintos primordiais.
Quando está em desequilíbrio: gula, ganância, agressividade.

Os chacras no dia a dia

Na prática, ser equilibrado, estável, manter hábitos saudáveis e ainda trabalhar pode soar complicado. Entretanto, não dá para evitar — esse é um dos desafios que temos que enfrentar diariamente. 

Cada chacra tem uma forma diferente de buscar o equilíbrio. Por exemplo, se o básico está com problemas, entre mais em contato com a natureza. Se for o plexo solar, saia da zona de conforto, buscando diversificar suas atividades diárias.

Para equilibrar e ativar cada um dos chacras, é possível fazer uso de vários caminhos terapêuticos, como a meditação.

Que tal aprender o passo a passo para ativar cada chacra? No curso da professora Kathy Lobos Vinyasa yoga e os chacras você aprende asanas que te ajudarão a manter o equilíbrio entre o corpo e a mente.

Quer um resumo desse texto em vídeo? Aperte o play e assista!