Então você decidiu experimentar a prática da meditação para comprovar seus benefícios: acordou mais cedo, vestiu roupas confortáveis, buscou um lugar aconchegante, fechou os olhos e… o alarme do carro do vizinho disparou, as crianças começaram a brigar, os cachorros a latir, alguém ligou a televisão em um volume mais alto que o aceitável, um carro acelerou na rua…

Não há concentração que aguente um ambiente barulhento! Ou há? Independentemente da experiência em meditação ou dos preparativos feitos para isso, toda pessoa já lidou ou terá que lidar com ambientes barulhentos durante sua prática. A boa notícia é que existem diversas estratégias e truques que podem ajudar a silenciar o barulho — tanto externo quanto interno.

Quer aprender como meditar em ambientes barulhentos? Confira nossas dicas:

Avaliar os benefícios

Você já pensou que o barulho pode ser utilizado como ferramenta para lhe ajudar a meditar? Se você respondeu “não”, saiba que mudar a sua percepção em relação aos ruídos pode ser importante para conseguir meditar em ambientes barulhentos. Em vez de pensar que os barulhos externos são sempre distrações, você pode usá-los até mesmo como suporte para auxiliar no processo de concentração.

Tente perceber o som. Não foque na origem dele nem no quanto ele incomoda. Concentre-se no som, nas suas vibrações, nuances e variações. Se o barulho é inevitável, tudo o que você não deve fazer é deixar que ele cause irritação, não entre em conflito, pois quanto mais a gente se irrita com os barulhos externos, mais eles parecem nos incomodar.

Conseguir meditar em ambientes barulhentos pode gerar uma série de benefícios: maior capacidade de concentração, tornar-se menos reativo ao estresse e às preocupações do dia a dia, auxílio no mantimento do equilíbrio da mente e das nossas emoções, dentre outras inúmeras vantagens.

Como silenciar o barulho externo

Um local silencioso, com luminosidade na medida certa (nem muito escuro, nem claro demais) e confortável realmente pode facilitar muito a prática da meditação, mas nem sempre é possível reunir todos esses fatores na hora desejada. Muitas vezes, a meditação é necessária justamente por nos encontrarmos em um ambiente caótico, não é mesmo? E então, como silenciar o barulho externo e conseguir meditar?

Concentrando em sua respiração

Se concentre na sua respiração, sinta o ar que entra quando você inspira profundamente e deixe-o sair lenta e suavemente na expiração. Existem diversas técnicas de respiração que podem auxiliar nesse processo de conexão interior. Quando você foca na respiração, os seus pensamentos tendem a desacelerar, pois a sua mente está voltada para o momento presente.

Acostumando com o barulho

Pode parecer impossível se acostumar com o barulho externo no momento em que a gente quer silêncio para meditar, mas à medida que a gente se concentra, o barulho vai incomodar cada vez menos. É preciso praticar. Você pode ter mais dificuldades nas suas primeiras tentativas, mas perceberá que quanto mais pratica, melhor ficará seu poder de concentração.

Focando no seu corpo

Volte sua atenção para as sensações do seu corpo, sinta cada parte dele, começando pelos seus pés, pernas, quadril, tronco, braços, sinta seu coração bater, o ritmo da sua respiração. Este processo mantém sua atenção centrada em você, e evita que seu pensamento se disperse com os ruídos externos.

Utilizando tampões nos ouvidos

Os tampões de ouvido encontrados facilmente em lojas especializadas são uma boa maneira de abafar os sons externos. Baratos, eles podem ser encontrados em diversos modelos (tanto internos quanto externos).

Ouvindo música

Nem sempre é possível utilizar essa técnica, mas ouvir música no momento da meditação pode realmente minimizar o barulho externo ao se concentrar na melodia. O volume não pode estar muito alto, e o ideal é que a música seja apenas tocada, e não cantada, como as músicas clássicas ou os sons da natureza, por exemplo.

Usando ruídos brancos

Ruídos brancos são sons estáticos muito utilizados para bloquear o barulho do ambiente. Eles podem ser encontrados facilmente na internet ou em aplicativos para celular, e são bons aliados da meditação em ambientes barulhentos.

Escutando áudios de meditação guiada

Iniciantes na prática da meditação podem se beneficiar muito de áudios específicos para isso. A meditação guiada pode ser encontrada na internet ou em CDs, onde meditadores experientes conduzem os praticantes a um estado de relaxamento por meio da própria voz.

Controlando o ambiente

Nem sempre é possível, mas eventualmente pode ser interessante programar a prática da meditação em horários em que o barulho externo seja melhor — antes dos outros moradores da casa acordarem ou quando todos já estão dormindo, por exemplo. Encontrar locais mais silenciosos também pode ser uma boa estratégia — um parque próximo à sua casa, a biblioteca ou uma igreja, por exemplo.

Como silenciar o barulho interno

Muitas vezes, o maior inimigo da meditação é a própria mente. Mesmo quando todas as condições estão favoráveis, o pensamento insiste em se dispersar e torna praticamente impossível a meditação. Para evitar esse problema, você pode:

  • se alimentar de forma leve (para evitar a sensação de fome);
  • beber água (para evitar a sensação de sede);
  • praticar exercícios físicos leves, como uma caminhada ou yoga;
  • conversar com um amigo ou familiar;
  • tomar uma ducha ou um banho de banheira;
  • ouvir músicas relaxantes;
  • ler um trecho do seu livro de cabeceira.

Cuidar da postura

A sua postura é importante no momento da meditação. Se algo estiver lhe incomodando — como dor na coluna, desconforto, sensação de formigamento — será um obstáculo a mais para conseguir se concentrar. Tente várias posições para meditar até conseguir encontrar a mais confortável para o seu corpo.

Usar um cronômetro

No início, muitas pessoas ficam ansiosas querendo saber há quanto tempo já estão meditando ou se vão perder a hora de algum compromisso e ficam com vontade de olhar o relógio. Uma boa alternativa para resolver esse problema é usar um cronômetro ou um alarme. Com isso, é possível determinar um tempo certo para sua meditação, de acordo com a sua disponibilidade do dia, e assim poder relaxar sem se preocupar com a hora.

Observar seus pensamentos

Muita gente ainda acredita que para conseguir meditar é preciso parar de pensar e isso pode se tornar um problema no momento da meditação. A questão não é não pensar, mas não se identificar com os pensamentos que surgem. Observe seus pensamentos como se fossem nuvens: deixe-os passar sem se deixar levar por eles.

Usar roupas confortáveis

Não há nada mais desconfortável do que usar roupas que estão apertadas demais ou de tecidos que causam coceira ou pinicam a pele, não é mesmo? Imagine no momento da meditação, em que tudo que precisamos é se sentir bem para conseguir ficar à vontade e relaxar. Portanto, não deixe de escolher roupas bem confortáveis para não atrapalhar na concentração.

Se todas as estratégias de meditar em ambientes barulhentos falharem, aceitar a atividade da mente e parar de lutar e resistir contra os pensamentos é a melhor maneira de atingir um estado de paz interior. A resistência e o julgamento só tornarão mais difícil a prática da meditação. Aceitar o momento presente é uma forma de respeito próprio.

Gostou deste artigo? Então conheça o curso Hatha vinyasa yoga e a meditação em movimento e aprenda agora mesmo!