Yoga não é só movimentar o corpo, vai muito além. Existente há mais de 2000 mil anos, essa filosofia de vida prática é capaz de harmonizar o lado físico e espiritual do ser humano. Apesar de ser um conjunto de conhecimento milenar, é possível, apenas com o trabalho dos asanas (posturas), encontrar equilíbrio e despertar a consciência corporal.

Quem opta por praticar yoga vê no método uma forma de aliviar a carga do dia a dia. Uma pesquisa realizada na Universidade Federal do Rio de Janeiro aponta que: “quando o yoga é confrontado com outras intervenções como o relaxamento, observa-se que ambas as técnicas produzem reduções na ansiedade, mas só yoga é capaz de melhorar significativamente diferentes domínios do estado de saúde, como a saúde mental e a função do papel emocional”. Então, é válido frisar que a prática pode não ser a única maneira de diminuir os sintomas de ansiedade e estresse, mas é uma grande aliada.

Além dessas vantagens, quem opta pelo yoga encontra na atividade (a curto e longo prazo) uma possibilidade de fortalecer os músculos, ganhar mais flexibilidade, aumentar a concentração, melhorar o sono e a autoestima, assim como energizar o corpo e alcançar a paz interior. Mas por onde começar?

É fácil entrar em uma aula de yoga e repetir as posturas ensinadas pelos professores. A pergunta é: será que estou praticando corretamente? E como ter certeza que alcançarei o objetivo desejado?

Pensando nisso, listamos seis erros para não cometer na prática de yoga e, ainda, desfrutar de todos os seus benefícios. Confira:

Deixar os problemas dominarem

Problemas todo mundo tem, a diferença é saber como lidar com cada um deles. Iniciar uma aula de yoga com a cabeça cheia de preocupações não é nada produtivo. Já pensou em ir para algum lugar relaxar e continuar com pensamentos negativos? Não é bom. Por isso, a recomendação dos professores sempre é tentar, ao máximo, “esvaziar” a mente daquilo que te atormenta.

Aquele momento é só seu. Não impeça que a prática flua, permita-se desligar de tudo e de todos. Mande toda a tensão embora e relaxe.

Não saber qual modalidade deseja e nem o nível em que está

Iniciantes de yoga podem ter dificuldades para acompanhar quem está na prática há algum tempo. O indicado é saber mais sobre cada modalidade e se ela se adequa aos objetivos almejados. Por exemplo, quem deseja uma prática mais calma e básica, pode não se adaptar bem, inicialmente, a uma aula de power yoga, que é mais dinâmica e cheia de movimentos vigorosos.

Faça uma pesquisa antes de começar a praticar. Entre os tipos mais comuns de yoga no Brasil destacam-se: hatha yoga, iyengar yoga, ashtanga yoga, kundalini yoga, vinyasa yoga e superioga.

Forçar posturas mesmo com dor

Um erro muito comum nos praticantes de yoga é forçar uma postura. Os profissionais da área sempre advertem: é primordial respeitar o limite do próprio corpo. Ao notar que a dor está intensa, diferente dos exercícios de alongamento, pare imediatamente. A flexibilidade é gradual, por isso não se preocupe caso não consiga fazer com perfeição certo tipo de posição, pois a insistência pode levar a sérias lesões.

Olhar o desempenho do colega

Esse erro pode ser alinhado com o anterior. Nada de ficar desanimado se o colega consegue ter um melhor desempenho em sala de aula. O crescimento é individual e virá com a tempo, por isso a importância de ter uma prática constante. Não adianta começar e não se esforçar para manter o exercício, ao longo da semana, com o empenho preciso.

Respirar errado

Muitos não sabem, mas a respiração é fundamental no cotidiano do ser humano. Quando uma pessoa está muito nervosa, é comum que feche os olhos e respire fundo. Mas o que isso tem a ver? Uma respiração calma e fluída harmoniza o corpo, e os pranayamas (técnicas de respiração) são uma alternativa para que isso aconteça.

Prana é a energia vital, é o que traz força e energia para o corpo. Os pranayamas auxiliam no equilíbrio dessa potência e ajudam a purificar os condutos energéticos por onde ela passa. Existem diversos exercícios, como o nadi shodhana (narinas alternadas), que são ótimos para ter uma prática saudável e um dia a dia mais harmonioso.

Comer antes de praticar

Já experimentou correr com a barriga cheia? O resultado não agradável, não é mesmo? Assim também é em uma aula de yoga. É importantíssimo não se empanturrar de alimentos pesados antes da prática. O ideal é alimentar-se duas horas antes da aula. Dê preferência com alimentos leves e de fácil digestão. Cereais, frutas, pães, oleaginosas e barrinhas naturais entram na lista. Lembre-se, você é o que come. Uma alimentação equilibrada traz saúde para o corpo.

Faça em casa

Agora que você já conhece os principais erros cometidos em uma prática de yoga, pode realizá-la com mais segurança e motivação, inclusive em casa. Cursos online são ótimos para quem deseja ter uma alternativa para relaxar sem perder dinheiro e tempo com transporte. Vamos começar?

Foto: Hamza Butt / Flickr: yoga / C C B Y 2.0; Gabriel Garcia Marengo / Flickr: Life Style Post / C C BY 2.0; WeTravel  / Flickr: Yoga Retreat / C C BY 2.0