Os mitos da alimentação vegana são muitos, vão desde a aparição de doenças à cardápios sem graça. Há pessoas que consideram o veganismo como uma simples dieta, algo da moda. Mas não é isso. Não é simplesmente uma restrição alimentar, mas sim um estilo de vida. Não é só parar de consumir e/ou utilizar produtos de origem animal, vai muito além.

Quem opta por se tornar vegano sabe que, além de sempre esclarecer as mesmas dúvidas quanto à sua rotina, terá que se informar mais sobre a reação do organismo frente à essa mudança.

Mas você não come carne? Vai ficar com anemia. Nossa, cuidado com as doenças. Que loucura, não deve ser nada bom só comer legumes e vegetais. Essas frases já são comuns para quem decidiu banir do cardápio alimentos de origem animal. Mas será que realmente só os veganos estão sujeitos à falta de nutrientes? Claro que não.

Saúde do organismo

É óbvio que o corpo humano necessita de nutrientes para se manter. Uma dieta sem a quantidade de vitaminas e proteínas correta é capaz de desencadear inúmeros problemas, a curto ou longo prazo. Mas um pensamento que se deve desmistificar é o fato da alimentação vegana não ser saudável.

Não tem saúde quem não se alimenta direito, consuma carne ou não. Então por que a sociedade vê com maus olhos esse estilo de vida? Simples, pelo fato de alguns alimentos de origem animal possuírem, em maiores quantidades, certo tipo de substâncias, se comparados aos de vegetais. Todavia há como substituir cada nutriente, por isso a importância de, antes de iniciar, se informar ao máximo sobre o universo do veganismo.

O que se deve ingerir?

Não é difícil seguir o veganismo. Para ter um cardápio saudável, é preciso, antes de tudo, se planejar e mudar alguns hábitos. Para isso, comece por pesquisar alimentos que supram as “deficiências” deixadas pela carne, ovo e laticínios. O ferro, por exemplo, é facilmente encontrado nas leguminosas, como lentilhas e feijão; em alguns cereais; e folhas verdes, principalmente as escuras. E se acredita que os onívoros não têm deficiência desse mineral, está enganado. Muitos deles, inclusive, necessitam consumir mais fontes de ferro.

O cálcio e as vitaminas, como a D e B12, também podem ser supridos com alimentos ricos nessas substâncias ou com suplementos. Invista em legumes, verduras, frutas e sementes, que quando germinadas também são ótimas para a manutenção do organismo. As proteínas e o ômega-3 também podem ser encontrados no feijão, linhaça e oleaginosas.

100% saudável?

Quem disse que comida vegana é sempre saudável? Isso varia muito de pessoa para pessoa. Há quem siga um menu mais equilibrado, já outros não. Aderir a um cardápio vegano é sadio sim e tem suas vantagens, em oposição aos que muitos dizem. Mas existe uma falsa ideia de que essa alimentação só é baseada em saladas e pratos “limpos” e com mínimos níveis de calorias possível. Pizza, coxinha, bolo, sorvete, bolacha, pão, suco, tudo isso também fazem parte desse mundo. Lembrando, veganismo não é dieta.

Faça em casa

Não existem tantas opções quando o assunto é venda de produtos veganos. Normalmente as pessoas sofrem mais para encontrar uma lanchonete que ofereça um doce ou sobremesa livres, a não ser que opte pelo artesanal. Essa dificuldade leva muitos a aprenderem novas receitas e até a abrirem seu próprio negócio.

Quer consumir pratos veganos, saudáveis e deliciosos? Que tal fazer você mesmo? Existem diversos cursos online sobre o assunto e até ensinam receitas deliciosas e muito fáceis de preparar.

Gostou das informações? Então compartilhe com seus amigos.

Foto: Helen Alfvegren / Flickr / CC BY 2.0