A alimentação saudável é um ramo que cresce a cada ano no Brasil. De acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, Sebrae, o setor movimenta US$ 35 milhões anualmente, o que tornou o país o quarto maior mercado do mundo. Um dos principais motivos que contribui para esse crescimento, está o fato dos produtos industrializados estarem cada vez mais cheios de substâncias tóxicas. Ninguém quer colocar na mesa um alimento que possa prejudicar a saúde de sua família.

Os restaurantes de alimentação saudável acabam por se tornar uma boa saída para quem deseja ficar longe de comidas contaminadas. Com isso, a demanda aumenta e gera boas oportunidades para novos empreendedores. O primeiro passo é pensar se de fato é isso que pretende fazer e, de preferência, pesquisar todas as informações possíveis sobre o assunto. Não é nada bom correr o risco de iniciar o trabalho e abandoná-lo em seguida por não gostar do que se faz ou por falta de orientação.

É importante, aliás, saber o cardápio que almeja oferecer. Produtos orgânicos sempre são bem vistos. Pratos vegetarianos e veganos também. Conhecer o público-alvo é essencial para o sucesso do seu negócio.

Localização

Iniciar um negócio próprio exige tempo e dinheiro. Caso não tenha condições de alugar um local, inicie em casa, na própria cozinha. Muitas pessoas optaram por vender marmitas saudáveis, ou qualquer outro tipo de comida. Além de economizar, viabiliza a arrecadação de mais recursos para o futuro da empresa.

Lembre-se também que, assim como em um restaurante convencional, é preciso tomar os mesmos cuidados com a cozinha da residência. Cuidado com a limpeza dos aparelhos e com o manuseamento dos alimentos.

De olho no cardápio

Conheça bem os benefícios dos alimentos que colocará à mesa. Não adianta elaborar um super cardápio se não souber a funcionalidade de cada ingrediente e em como ele pode ajudar na saúde do cliente. Caso seja novo no ramo, procure a orientação de especialistas em nutrição. Uma dica também é investir em produtos sem glúten. Como muitos são intolerantes a essa proteína, ter algumas opções já é válido e garantia de clientes.

Pratos vegetarianos e veganos

A comida vegetariana e vegana são outras alternativas para quem quer expandir os negócios. Não se restrinja só a pratos com carne de vaca, de frango ou de peixe. Opte também por cardápios sem carne ou derivados de origem animal. Ao contrário do que muitos pensam, pode-se fazer uma comida colorida, deliciosa e, o mais importante, cheia de benefícios.

Tome cuidado apenas com a preparação desses pratos. Ser vegetariano ou vegano não é sinônimo de saúde. Prefira os produtos naturais e fique atento às frituras.

Transparência com a clientela

Nunca minta para seu cliente. Um negócio que inicia com mentiras nunca termina bem. Fale, ou escreva, de forma clara e objetiva todas as informações que julga importante para a empresa. Procure disponibilizar os ingredientes de seu cardápio e, caso perguntem, o modo como foi elaborado cada um.

Controle financeiro

Além do bom preparo dos alimentos, a organização financeira é outro ponto a ser levado em conta. Mesmo antes de abrir seu negócio, coloque em planilhas todos os gastos que já fez ou irá realizar. Despesas com alimentação, material e, se a cozinha for a de casa, pessoal (gás, luz, água) devem ser apontados. Esse controle ajudará a crescer mais e sem problemas no orçamento.

Conservação de alimentos

Não tem como dar início a um restaurante ou delivery sem ter noções básicas de cozinha. Saber refrigerar, congelar e descongelar é prioridade. Técnicas para preservar os nutrientes dos alimentos também. Por isso, caso não saiba, faça uma aula e fique expert no assunto. Inclusive, existem diversos cursos online que são ótimos para dar esse empurrãozinho na carreira.

Gostou das nossas dicas? Então não perca tempo e coloque no papel todas as ideias para o seu novo negócio. Boa sorte!

Foto: Marco Verch / Flickr / CC BY 2.0