Não é novidade que para ter uma vida saudável é preciso muito mais do que a prática de exercícios físicos. A realização de qualquer atividade, seja de esporte ou do dia a dia, exige um corpo preparado e um organismo fortalecido, e a alimentação é uma importante aliada. Mas não só isso. Ter um cardápio equilibrado também é importante para prevenir problemas e proporcionar um futuro melhor.

Muitas vezes, a grande questão é saber o que escolher na hora da fome. Qual é o melhor cardápio? Que tipo de alimentos posso consumir para que o meu corpo tenha todos os nutrientes necessários? Foi assim que surgiu a alimentação funcional.

“Quando a população começou a envelhecer na Ásia, especificamente no Japão, o governo percebeu que tinha que focar na alimentação para idosos. Então notaram que certos alimentos funcionavam para determinadas situações: o chá verde funciona para isso, o tofu para aquilo, e começaram a dar esse foco para alimentos que podiam servir para casos específicos. Depois que o governo viu que era bom e que podia ser aplicado na sociedade, criou o termo alimentação funcional, que foi introduzido na culinária japonesa”, relata o chef e nutricionista Carlos Rocha.

O que é alimentação funcional?

A alimentação funcional é uma alimentação equilibrada e individualmente selecionada. Como o organismo do ser humano é único, muda de uma pessoa para a outra, não seria estranho se o cardápio fosse igualmente individual. Além dos nutrientes básicos, os alimentos funcionais promovem inúmeros benefícios, a curto e longo prazo.

Os super foods são um exemplo de alimentos funcionais. Também conhecidos como super-heróis da alimentação, são ricos em antioxidantes, que ajudam a retardar o envelhecimento precoce e evitam vários tipos de doenças crônicas. Os chás também entram na lista, pois são fonte de fitonutrientes, que eliminam os radicais livres e ajudam a evitar a oxidação das células.

Alimentos naturais como as frutas são importantes para compor um cardápio equilibrado e funcional. “Cada fruta tem uma cor com um antioxidante típico daquela cor. Frutas, chás, verduras, legumes e os super foods, que são a quinoa, o psílio e as berries, têm alto teor de nutrientes”, declara o chef.

Alimento completo = organismo saudável

Quem resiste a uma maçã fresquinha ou aquela laranja docinha? Não há dúvidas de que frutas são deliciosas e importantes para manter a saúde do organismo. Mas você sabia que as cascas também têm um papel fundamental?

As cascas das frutas, assim como as dos legumes, concentram, muitas vezes, o maior poder nutricional. “Ela é uma defesa entre o ambiente e o alimento. A casca da banana, por exemplo, precisa ser forte para resistir ao vento, chuva, sol, temperaturas variadas e pragas. Se a gente for fazer um levantamento, muitas universidades têm feito pesquisas sobre o assunto”, esclarece Carlos Rocha.

Fibras, vitaminas e minerais podem ser encontrados com bons níveis nas cascas. Por isso, sempre que puder, acrescente-as ao cardápio, pois além de proporcionarem saúde, diminuem o desperdício da comida.

Como é possível notar, a alimentação funcional tende a utilizar tudo o que possa realmente trazer benefício ao organismo.

Um único ponto deve ser levado em conta: a presença de agrotóxicos nos alimentos. O Brasil é um dos países que mais consome agrotóxicos no mundo, e já não é novidade o mal que essas substâncias causam ao corpo humano. Por isso, evite ao máximo a ingestão de produtos com esses elementos.

“Primeira dica: procure comer alimentos sazonais, porque se é da época, normalmente, não precisa de agrotóxico. Hoje em dia, nas grandes capitais, tem feiras orgânicas, procure uma. No uso do dia a dia, caso compre um alimento convencional, lave o máximo possível. Lembrando que a lavagem não elimina agrotóxico”, alerta o chef.

Alimentação funcional cura?

Já ouviu falar em cura pela alimentação? Muitas pessoas acreditam, e com razão, que um bom cardápio pode contribuir para a diminuição de sintomas de inúmeras doenças. Há quem já tenha restaurado a saúde, mas isso vai de cada organismo, por isso não adote dietas sem a consulta prévia de um médico ou nutricionista.

A questão é que os alimentos naturais realmente são benéficos e podem, inclusive, ajudar na prevenção de inúmeros doenças crônicas. Para o chef e nutricionista Carlos Rocha, a alimentação funcional pode contribuir para uma vida melhor.

“Não trato a alimentação funcional como cura, a trato como prevenção. É como o famoso ditado da nossa vovó: é melhor prevenir do que remediar. Então, a alimentação funcional é para ter energia, força, vigor e tudo o que for preciso para cuidar do nosso corpo, e do nosso lado emocional também”, reforça Rocha.

Como montar um cardápio funcional?

Assim como qualquer outro cardápio, o funcional deve ser variado, colorido e aromático. Cada alimento tem sua particularidade e personalidade, e é isso que torna essa alimentação tão saudável. O importante, porém, é saber a história, a trajetória, desse alimento até chegar no seu prato. “O melhor caminho é você conhecer. A informação nos dá esse poder de saber e de escolher”, finaliza o chef.

Quer saber mais sobre essa alimentação? Então conheça o curso Cardápio funcional completo, do chef Carlos Rocha, e aprenda o passo a passo para montar um menu prático, saboroso e nutritivo.