Uma dieta que restringe a carne na alimentação (como carne bovina, frango, peixes e frutos do mar) muitas vezes é considerada simplesmente como vegetariana. Mas, na verdade, existem algumas diferenças entre a chamada dieta ovo-lacto-vegetariana e a dieta vegetariana restrita.

A dieta ovo-lacto-vegetariana é aquela que, além de vegetais, frutas e cereais, também há presença de ovos e derivados do leite, como iogurtes e queijos. Já as dietas vegetarianas excluem qualquer tipo de alimento de origem animal, ou seja, carnes, laticínios e/ou ovos.

Para quem deseja se preparar e mudar da dieta ovo-lacto-vegetariana para a vegetariana, não existem muitos segredos. Com dedicação, é possível fazer a transição de maneira saudável e continuar se alimentando muito bem. Confira nossas dicas:

Comece a transição em apenas uma refeição do dia

A melhor maneira de realizar a transição entre os dois tipos de dietas é começar diminuindo, progressivamente, a quantidade de ovos e laticínios. É possível, por exemplo, retirar o queijo ou requeijão apenas do café da manhã, até que você se acostume e, com o tempo, possa retirá-los de todas as refeições.

Uma outra dica é misturar leite vegetal (como o de amêndoas) a frutas ou cereais, assim seu corpo vai se acostumando aos novos gostos e a mudança não será tão radical.

Lembre-se que a transição não significa criar uma lista de “alimentos proibidos” e simplesmente retirá-los do cardápio. Mas sim, aos poucos, fazer leves substituições e incluir novas opções na dieta.

Pesquise receitas vegetarianas

O que não falta hoje em dia são receitas inovadoras. Além de aproveitar muitos pratos como o tradicional arroz e feijão, sopas de legumes, tapioca ou massas integrais, várias refeições também podem ser transformadas em versões vegetarianas, que ficam super gostosas.

Que tal uma maionese de abacate sem ovos? Confira o modo de preparo.

No liquidificador, bata 1 polpa de abacate (médio), 1 suco de limão, 8 colheres (sopa) de água, 1 colher de sal e ervas a gostos. Aos poucos, acrescente também ½ xícara de azeite extra virgem. Depois é só aproveitar para acompanhar lanches e saladas.

Informe-se sobre os benefícios e fique atento aos riscos

Evitar o consumo de laticínios ajuda a prevenir inchaço intestinal, assim como prisão de ventre e refluxo. E não precisa se preocupar quanto a “falta” de cálcio no organismo ao deixar de consumir leite, iogurte e queijos: alimentos como folhas verdes, feijões, tofu, amêndoas e gergelim são excelentes escolhas para substituí-los.

Mas, também, é preciso ficar atento a alguns riscos como o uso exagerado de soja. Substituir produtos de origem animal pela soja é recomendável, porém, é preciso prestar atenção à quantidade: seu excesso no corpo pode ser tão prejudicial quanto a ingestão de produtos industrializados. Afinal, você pode acabar privando o organismo de nutrientes presentes em outros tipos de alimentos. Por isso, procure sempre intercalar a soja com outras opções.

Tenha disciplina e organização

O mais importante no processo de transição entre a dieta ovo-lacto-vegetariana para a dieta vegetariana é não se culpar por possíveis “recaídas”.

Faça o que estiver ao seu alcance e estabeleça metas possíveis de serem realizadas. Entenda que a disciplina será sua melhor aliada e é tentando, dia após dia, que seu paladar irá se acostumar à nova rotina.

Para os que se interessam pela prática do vegetarianismo, o Namu Cursos oferece vários cursos com deliciosas receitas vegetarianas ou veganas, que você pode fazer em casa mesmo, gastando muito pouco. Gostou das dicas? Compartilhe com os amigos!