O vegetarianismo está entre os assuntos atuais mais polêmicos. Quando uma pessoa diz que se tornou vegetariana, a maioria em volta começa uma sequência de perguntas sobre seu novo estilo de vida, seu estado de saúde e tudo o que possa rodear a manutenção do organismo. São sempre as mesmas questões: e as vitaminas encontradas na carne? Vai parar de comer peixe também? Não tem medo de ficar doente? Pior ainda é quando o envolvido é uma criança.

É normal que pais queiram que os filhos sigam seus passos, e isso serve para tudo. Ter a mesma educação e seguir à risca certo tipo de alimentação é primordial para a família. Quando os pais são vegetarianos e pensam em manter o mesmo cardápio nas crianças, podem surgir algumas dúvidas, já que, ao contrário dos adultos, eles estão em fase de desenvolvimento e se alimentar de forma correta é essencial. Mas, afinal, crianças podem ser vegetarianas?

O primeiro passo

Sim, crianças podem ser vegetarianas, desde que a alimentação seja rica em nutrientes e possa suprir tudo o que o corpo necessita. Por isso, o primeiro a se fazer é procurar a orientação de um nutricionista. Não siga seus próprios achismos, pois uma dieta malfeita pode comprometer o crescimento do seu filho. Amamente até a idade recomendada e, quando começar a introdução dos alimentos sólidos, siga as orientações médicas. Lembre-se que não é preciso ingerir carne para crescer forte e saudável.

Como devo alimentar a criança?

No geral, a dieta vegetariana pode ser dividida em: lacto-ovo-vegetariana (sem carne, mas com leite, ovos e derivados) e lacto-vegetariana (sem ovos, carne, mas com leite e derivados). Também existe a vegana, na qual qualquer alimento ou produto (vestimentas, medicamentos, cosméticos etc) não pode derivar e/ou ser testado em animais.

Quem opta por qualquer das três opções deve sim seguir as orientações restritas do nutricionista.  O ideal é ingerir alimentos ricos em substâncias como ferro, cálcio, ômega 3, proteínas e a famosa vitamina B12. Em alguns casos, só o cardápio não basta, é preciso suprir com suplementos, como o caso da B12. Mas nada de alarde, existem pessoas que mesmo consumindo carne têm falta dessa vitamina, então não é fato isolado em vegetarianos.

Para ter uma alimentação saudável e completa, você pode substituir alguns ingredientes. Por exemplo, vegetais verde-escuros e leguminosas são fonte de ferro. Inclusive, uma dica é combinar esses alimentos com outros ricos em vitamina C, pois ajudam na absorção.

Já para as crianças que consomem leite e derivados, a ingestão de cálcio não é problema. Brócolis, feijão e espinafre também podem ajudar nessa questão. As proteínas, muito importantes, podem ser encontradas em leguminosas, oleaginosas, tofu, ovos, leite e derivados.

Não se esqueça de oferecer ao seu filho uma lista diversificada de frutas, legumes e verduras. A banana é rica em vitaminas do complexo B, C e E, potássio, ferro e fibras, além dos açúcares naturais, ótimos para o fornecimento de energia.

Um cardápio sem os devidos nutrientes pode ser prejudicial para a formação e crescimento dos ossos, desenvolvimento cognitivo, sistema nervoso, sistema imunológico, entre outros.

Cuidado com os industrializados

Engana-se quem acredita que a alimentação vegetariana sempre é saudável. É possível ingerir alimentos calóricos e ainda assim deixar a carne de lado. Por isso, fique atento ao que oferece ao seu filho. Nada de produtos cheio de conservantes e com substâncias tóxicas. Prefira os mais naturais.

Não sabe como preparar um menu para seu filho? Conheça o curso Cardápio infantil, alimentação saudável desde bebê, aprenda novas receitas e inúmeras dicas nutricionais para a saúde dos pequenos.

Fotos: San José Library / Flickr / CC BY-SA 2.0