A alimentação diferenciada tem se tornado cada vez mais comum. Hoje, em nossos grupos de amigos, encontramos pessoas com hábitos alimentares distintos — como vegetarianos, veganos, frugívoros, crudívoros, entre outros.

Cada um, em sua prática, busca uma ideologia específica — e o aumento considerável de adeptos de cada um desses movimentos tem feito as empresas do ramo alimentício inovarem e apresentarem soluções interessantes para o público.

Nesse contexto, uma ideologia que vem crescendo consideravelmente nos últimos anos é o veganismo. Você já ouviu falar sobre essa prática? Conhece ou já experimentou algum tipo de comida vegana? Então, continue a leitura e conheça melhor o veganismo e as vantagens de aderi-lo.

O que é o veganismo?

O veganismo é semelhante ao vegetarianismo, mas vai mais além. A diferença entre os dois grupos é que, para o vegano, a alimentação e os hábitos diários vão além de não comer carne — em respeito à vida, nenhum tipo de alimento, objeto ou substância de origem animal deve ser consumido.

Portanto, esqueça a jaqueta de couro legítimo, o omelete e a mussarela — os veganos não consomem nenhum desses itens. O número de adeptos da ideologia cresce cada vez mais.

Mesmo assim, muitas pessoas que comem carne ainda possuem uma certa resistência à comida vegana. Mas é um fato: quem experimenta um bom mandioqueijo sempre se surpreende positivamente.

O que é a comida vegana?

A comida vegana engloba leguminosas, todos os tipos de grãos, frutas, legumes, verduras e produtos desenvolvidos a partir desses alimentos. Através de produtos substitutos, os veganos podem comer queijos, maionese e até sorvete — tudo produzido sem itens de origem animal.

Por que consumir comida vegana?

Além da carga ideológica a respeito da valorização e da preservação da vida animal, a comida vegana também promove a saúde e um estilo de vida saudável e equilibrado.

Isso é um reflexo do aumento do consumo de produtos mais naturais e menos industrializados. Confira as principais vantagens do consumo de pratos veganos:

Diminuição do consumo de toxinas

Com a diminuição de produtos muito industrializados na dieta, o organismo se vê menos exposto a muitas toxinas — afinal, uma parte dos tóxicos que ingerimos são provenientes de alimentos de origem animal e, portanto, o corte desse tipo de refeição melhora a condição do organismo.

Isso também diminui as chances de intoxicação e alergias — se pararmos para pensar, veremos que esse tipo de reação adversa do organismo acontece, algumas vezes, devido à ingestão de leite, ovos e carne.

Um outro ponto interessante é que, por cortarmos alimentos de origem vegetal de nosso cardápio, diminuímos também a propensão ao famoso colesterol ruim.

Menor propensão a doenças crônicas

As doenças crônicas que mais acometem a população — obesidade, colesterol, diabetes, hipertensão e doenças degenerativas — podem ser acentuadas pelo consumo de gordura animal em excesso. Uma vez que a dieta vegana corta a ingestão desse tipo de gordura saturada, é possível diminuir a propensão a essas doenças.

Melhora do sistema imunológico

Com o aumento do consumo de legumes e frutas, o sistema imunológico acaba reagindo positivamente. As vitaminas encontradas nesses alimentos ajudarão a fortalecer o organismo, fazendo com que você esteja menos propenso a gripes e outras doenças oportunistas do dia a dia.

Além disso, sem as carnes, a cozinha vegana acaba sendo rica em fibras. Isso faz com que o estômago e o intestino funcionem de forma regular e saudável — pois o alto consumo de fibras e baixo consumo de gordura desintoxica o organismo.

E então, gostou de conhecer mais sobre a comida vegana e seus benefícios? Pronto para se deliciar com os pratos veganos e aprender mais sobre essa ideologia? Confira o nosso curso de Sobremesas e dicas veganas para você e seu negócio.