Os alimentos orgânicos são aqueles que, ao serem produzidos, respeitam em todas as etapas o meio ambiente. No cultivo de vegetais orgânicos não são utilizados produtos para combater pragas ou fertilizantes industrializados, e todo o processo é realizado com produtos naturais, sem agrotóxicos ou pesticidas que podem causar danos ao solo e à saúde do consumidor.

A mesma ideia se aplica na produção de carnes e ovos orgânicos, pois os animais não recebem nenhum tipo de hormônio ou anabolizante. Dessa forma, os alimentos orgânicos são mais benéficos para a saúde, além de serem mais saborosos e ajudarem o meio ambiente.

Se você ficou interessado no assunto e quer entender mais sobre o mercado de alimentos orgânicos, continue lendo este post!

Crescimento do mercado de alimentos orgânicos

O Brasil vive hoje os reflexos de uma crise econômica que fez com que o poder de compra do brasileiro diminuísse. Em virtude do aumento dos preços, vários setores deixaram de lucrar e diminuíram sua produtividade.

No entanto, a crise não parece ter afetado os agricultores de produtos orgânicos. No país, o número de produtores que investem nessa promissora agricultura chegou a dobrar. As taxas de crescimento podem chegar a 30% no Brasil em 2016, enquanto nos outros países giram em torno de 5% a 11%.

Há cerca de três anos, foi regulamentada uma lei que permite a identificação dos produtos orgânicos por meio de selos em suas embalagens. Dessa forma, os consumidores que desejam uma alimentação mais saudável e sustentável podem diferenciar o alimento orgânico do alimento convencional.

Esse fato impulsionou o setor, que hoje representa cerca de 1,5% do mercado de alimentos no Brasil. Ou seja, o crescimento desse setor se deve principalmente a uma mudança de hábitos na alimentação da população. Quem deseja melhorar a alimentação opta por alimentos livres de agrotóxicos e hormônios, preferindo os alimentos orgânicos aos transgênicos e convencionais.

Em decorrência do aumento do setor, foram abertas lojas e supermercados especializados em produtos naturais, o que gerou mais visibilidade aos produtos orgânicos, que antes eram pouco conhecidos.

Dificuldades no mercado de alimentos orgânicos

Apesar do crescimento significativo, o mercado de alimentos orgânicos ainda é pequeno e está em processo de consolidação. A agropecuária orgânica é uma prática que exige cuidado intenso e, por esse motivo, dispende mais gastos do que a produção de alimentos convencionais.

A ausência de agrotóxicos e fertilizantes sintéticos, assim como o uso de práticas sustentáveis, são o que caracterizam um produto como orgânico. Dessa forma, o manejo é mais sofisticado e necessita de mais processos e ferramentas específicas, o que torna a produção mais limitada.

Assim, é importante ter em mente que esse tipo de produto sempre terá um preço com maior valor agregado, o que pode ser um desafio na venda para o consumidor. Além disso, é preciso que seja feito um investimento significativo na área de pesquisa, assistência especializada e divulgação dos alimentos orgânicos no país.

A expressão ”cultura orgânica” aparenta ser uma atividade natural e simples, embora não seja. Os cuidados específicos requerem tempo, dedicação e investimento. Os supermercados e lojas já perceberam o grande potencial desse tipo de alimento e arriscam cada vez mais trazê-los para suas prateleiras. Dessa forma, o mercado dos alimentos orgânicos tem tudo para crescer e cativar ainda mais consumidores!

Vai comprar alimentos orgânicos e não sabe como prepará-los? Conheça a série de aulas de gastronomia da plataforma NAMU Cursos. Neles você encontra receitas vegetarianas, veganas e de deliciosas sobremesas.