O glúten é uma proteína encontrada em grãos como o trigo e centeio. Eliminá-lo da dieta não é uma das tarefas mais fáceis, principalmente quando dá aquele desejo de comer pães, bolos e outros alimentos à base de farinha. Essa é uma preocupação frequente na vida dos alérgicos a essa substância.

Mas também há aquelas pessoas que desejam apenas consumir menos glúten com o objetivo de ter uma dieta mais equilibrada. Pesquisas recentes apontam que quando se diminui a quantidade desta proteína no organismo, há redução na fadiga e melhora no desempenho do cérebro.

A boa notícia é que comer alimentos sem glúten não significa ter que deixar de consumir as deliciosas receitas que amamos. Pode ser desafiador no começo cozinhar para quem tem esse tipo de intolerância, mas com alguns ajustes e adaptações é possível fazer pratos saborosos que não afetam os portadores da doença celíaca.

Pensando na saúde e bem-estar, listamos cinco tipos de farinhas sem glúten que podem deixar as suas receitas deliciosas. Confira:

1- Farinha de arroz

A farinha de arroz é uma substituição adequada e saudável para a farinha de trigo, caso precise ou deseje manter uma dieta sem glúten. Ela tem alto teor em proteínas e vitaminas B.

Substituir a farinha de arroz integral pela de trigo também pode ajudar com a perda de peso, visto que a dieta rica em fibras aumenta a sensação de saciedade e a reduzir a fome.

2- Farinha de quinoa

A farinha de quinoa orgânica é uma das farinhas de grãos mais nutritivas disponíveis. Boa para diversas receitas, ela é uma ótima fonte de proteínas e também auxilia no emagrecimento por conter fibras que dão sensação de saciedade.

Ideal para aqueles que seguem uma dieta sem glúten, vegana ou vegetariana, também é uma excelente escolha para quem deseja consumir pães, panquecas e waffles mais leves e saudáveis.

3 – Farinha de sorgo

A farinha de sorgo tem alto valor nutricional, com altos níveis de gorduras insaturadas, proteínas, fibras e minerais como fósforo, potássio, cálcio e ferro. É considerado um grão dietético perfeito para aqueles com doença celíaca.

Essa farinha oferece uma variedade de benefícios para a saúde, mesmo para pessoas sem intolerância ao glúten. Pesquisas recentes sugerem que o consumo de sorgo reduz o risco de câncer de cólon e pele, além de reduzir o colesterol.

Em geral, a farinha de sorgo pode ser usada como uma substituição de trigo em pães, massas e assados.

4 – Farinha de soja

Rica em proteínas, a farinha de soja pode ser utilizada para substituir outras farinhas que possuem glúten, auxiliando ou mantendo o peso. Ela também adiciona textura e sabor agradável a uma variedade de produtos.

A iguaria também pode ajudar a diminuir os sintomas de TPM e menopausa e reduzir o risco de doença cardíaca. É uma fonte rica de proteínas, bem como ferro, vitaminas B e cálcio.

5 – Farinha de milho

A farinha de milho pode ser usada como substituta do trigo em alguns itens, principalmente, os cozidos. Ela é uma boa fonte de minerais e vitaminas.

O sabor desse alimento já é delicioso por si só e pode ser utilizado em temperos para fazer pratos simples e nutritivos, como polenta.

Importante

Nenhuma farinha substitui a de trigo no que se refere à estrutura e textura. Isso acontece porque o glúten é o que fornece a elasticidade necessária para que a massa se desenvolva e não fique farelenta.

Por isso, nas preparações de tortas, bolos, pães e outros alimentos que utilizam a farinha de trigo, você pode fazer uma mistura entre alguns ingredientes sem glúten para obter a densidade similar.

Exemplo de uma mistura sem glúten que dará a consistência do trigo:

  • Farinha de arroz branca – 2 xícaras (290 g)
  • Farinha de arroz integral – 1 1/2 xícara (185 g)
  • Fécula de batata – 1 xícara (170 g)
  • Polvilho doce – 1/2 xícara (55 g)
  • Goma xantana – 2 colheres de chá (5 g) – opcional

Se você gostou das nossas dicas de substituições para a farinha de trigo, conheça também nosso curso online que ensina o preparo de pães, bolos e tortas sem glúten e sem lactose.

Foto: Hans / Pixabay / CC0 Creative Commons